sexta-feira, maio 19, 2006

Livro de cabeceira

Para que o meu blog não seja só escalada aqui fica a ideia de um bom livro para ter na mesa de cabeceira.

Confesso que a primeira vez que li Paul Auster estava em plena adolescência e a sua escrita envolveu-me de tal forma que fiquei fã desde então. Foi através do romance Mr Vertigo que entrei na literatura soberba deste escritor norte americano.

Os seus livros são cativantes, descritivos, comuns e dão-nos sempre uma imagem muito clara e nostálgica do país que é a América. Num romance de Paul Auster o acaso é sempre adjectivo e quando se acaba de ler a última linha da última página fica-se, sempre, com nostalgia de o livro ter acabado...a partir daí só poderemos continuar a sua história na nossa mente.

A triologia em Nova Yorque, Timbuktu, Palácio da Lua, O Caderno Vermelho e a Solidão Reinventada, são algumas peças da sua obra literária que aconselho a quem queira entrar no mundo de Paul Auster.

O seu último livro, As Loucuras de Brooklyn, decorre em Brooklyn, um bairro paralelo à vida nova iorquina, e conta-nos a história de Nathan, divorciado e abandonado pela única filha, e do seu sobrinho Tom, com quem perdera contacto durante anos. O livro leva-nos a passear no bairro multicultural de Brooklyn, onde intelectuais, emigrantes, desocupados, passam os seus dias longe do centro da capital económica da américa.

Um livro sem dúvida a não perder.


Paul Auster, As Loucuras de Brooklyn, Edições ASA, 2006

Críticas da imprensa:

"O romance mais emotivo de Paul Auster." - The Sunday Times

"Um retrato carinhoso de uma cidade como refúgio último do espírito humano. Soberbo!" - Publishers Weekly

"Poético e poderoso. As Loucuras de Brooklyn marca uma nova e magnífica etapa na obra de Paul Auster." - Le Nouvel Observateur

"Paul Auster no seu melhor… Um romance de uma sabedoria tremenda." - New Statesman

"A prosa de Paul Auster é acutilante, simples e envolvente. É impossível não nos apaixonarmos pelos seus personagens." - The Observer"

Um livro excepcional… Paul Auster escreveu um dos seus mais notáveis romances." - L'Expansion

"Como competir com a vertiginosa imaginação de Paul Auster? Manuseando com uma mestria perfeita a arte do suspense e da intriga, o escritor conta com paixão e compaixão a vida destes personagens. Irresistível!" - Livres Hebdo

"Há um toque de magia no quotidiano contado por Auster." - The Times

1 Comments:

At 22 maio, 2006 10:42, Anonymous CP said...

Também partilho da tua opinião sobre o Autor. Das suas obras apenas tive oportunidade de ler o "Palácio da Lua" e tal como descreves quando estava a chegar ao final do livro, apenas desejava que ele não acabasse...
Sensação estranha!
Faz-me lembrar outros factos da vida.
Vou tentar ler o Recomendado!!!
CP

 

Enviar um comentário

<< Home