sexta-feira, setembro 29, 2006

2 Amores

Ontem fui ao teatro ver a peça que estreou há poucos dias no Teatro Villaret. Intitulada "2 Amores" esta é a última obra da dupla António Feio e José Pedro Gomes. Desde que estreou a peça "Arte", em 1998, que sou fã incondicional destes actores.
.
Mais uma vez, eles não desiludiram e puseram em cena uma comédia hilariante, centrada na vida de um taxista, personagem interpretada por José Pedro Gomes, casado com 2 mulheres, Maria e Ana. Por uma casualidade, João Santos, o taxista, vê a sua vida dar uma reviravolta e a mentira envolvendo os dois casamentos está prestes a ser descoberta. De mentira em mentira o taxista, com a ajuda do seu vizinho, Simão Horta, personagem interpretada por António Feio, vai enganando as duas mulheres e dois inspectores da polícia, que entretanto entram na história.
.
Com encenação de António Feio, fazem ainda parte da peça os actores António Machado, Cláudia Cadima, João Didelet, Joaquim Guerreiro, Maria Henrique e Martinho Silva.
.
O cenário encaixa perfeitamente na história, apresentando uma dinâmica impar em todo o enredo.
.
É uma história de mentiras, com situações caricatas e improváveis que põem o público a rir a cada minuto e a envolver-se numa história no mínimo surrealista.
.
É sem dúvida uma peça a não perder. É rir do principio ao fim, até os músculos das bochechas se ressentem!!


Circuito Nacional de Bloco

Grande Competição Nacional de Bloco este fim de semana na baía de Cascais. Ouvi dizer que vêem os melhores escaladores de todas as partes de Portugal, desde o norte ao centro, passando pelo algarve, só para competirem em Cascais.
.
A todos os que escalam e blocam, que nunca competiram ou que competiram uma ou duas vezes, saiam de casa, deixem as falésias em paz e venham competir. Vai ser divertimento e aprendizagem na certa!
.
Aos outros, que de vez em quando passam por este blog e se perguntam:
- Mas o que é isto de escalar?
- E bloco que será? Será que levam corda?
- Será mesmo radical?
- Porque será que têem de apertar à morte, como se não houvesse amanha?...
- Será assim tão giro que mereça a pena ter um blog intitulado "climb, climb, climb"?
- ...
.
Aqui têem uma boa oportunidade para ver o que é blocar, para ver como se compete em Portugal, como se espreme o sumo da resina, como se aperta à morte, and so on, so on...
.
Não percam!
.
Mais informações em: www.adesnivel.pt/boulder
.

domingo, setembro 24, 2006

1ª Prova do Circuito Nacional de Dificuldade

Decorreu no dia 17 de Setembro a primeira prova do Circuito Nacional de Dificuldade deste ano. Os melhores escaladores nacionais acorreram à Cidade de Marco de Canavezes para participarem nesta prova organizada pelo Clube de Montanhismo de Vila Real.
.
O ambiente estava descontraído e a adesão foi em massa. Pena que a categoria feminina continue com tão poucas adeptas. Será que não há raparigas a escalar em Portugal? Ou será que não se motivam para as competições?...
.
Em geral, a prova não poderia ter corrido melhor. O tempo esteve ameno com o sol a espreitar por entre as nuvens e a prova decorreu com escalões de iniciados, júniores, juvenis e séniores, distribuídos pelas categorias masculina e feminina.
.

O ambiente na sala de isolamento

Para equipar as vias da prova veio o escalador espanhol Carlos Suarez, que já equipou umas quantas provas de dificuldade e bloco no nosso país.
.

Carlos Suarez, equipador da prova

A concorrência masculina estava ao rubro, com os melhores escaladores nacionais a passarem à final. Um dos grandes favoritos aos primeiros lugares, José Abreu, esteve ausente, a participar na Copa do Mundo de Escalada que decorria ao mesmo tempo em Marbella. Apesar de ser o único a representar as cores de Portugal, acabou bem classificado em 37º lugar.
.
David (Chibo) Rodrigues e Ricardo Neves a visualizarem a via
.
O pessoal aplicou-se e parece que o equipador subestimou os nossos atletas séniores, sendo que na final três escaladores fizeram top. Assim, houve lugar a uma super final entre os atletas Leopoldo Faria, Ricardo Belchior e André Neres. Na super final o Ricardo não falhou e voltou a fazer top, arrecadando assim o primeiro lugar da prova, logo seguido do Leopoldo Faria (2º classificado) e de André Neres (3º classificado).
.

Leopoldo (Leo) Faria na via da final
.
Ricardo Belchior (1º classificado) na via da super final
.

Não só no escalão sénior houve competitividade, felizmente os nossos atletas mais jovens estão cada vez mais fortes e este escalão conta com atletas de alto nível. A comprovar estão os dois tops alcançados na final pelo Marc Xavier e pelo Márcio Bonifácio, que ficaram assim em primeiro lugar em ex-aqueo, logo seguidos do Luís (Bibs) Barbosa (3º classificado).
.

O pódio no escalão juniores. Márcio Bonifácio e Marc Xavier (1º classificado em ex-aqueo) e Luís (Bibs) Barbosa (3º classificado)

As finais femininas séniores foram competitivas q.b. Apenas com quatro atletas a disputarem os três lugares do pódium, nenhuma fez top. A Kimie Kon mais uma vez mostrou a sua garra competitiva ficando em primeiro lugar, seguida de mim (2ª classificada), da Marisa Correia (3ª classificada) e da Sandra Melo (4ª classificada).

As atletas a visualizarem a via da final

Kimie Kon (1ª classificada) na via da final

Foi muito interessante ver o escalão de femininas iniciadas, que tão jovens deram o seu melhor apresentando uma escalada fluida e uma garra competitiva fora do comum.

A prova esteve muito bem organizada e apenas num dia conseguiu-se seguir os "timings" e realizar uma prova com eliminatórias e finais para quatro escalões, distribuídos entre masculinos e femininos.
.

O animador das competições tugas, Américo (Meco) Sousa
.

O ambiente geral da prova

Parece que os escaladores mais jovens estão a motivar-se para escalar e a ajudar está o desporto escolar. Espero que não deixem de parte essa motivação porque é de pequenino que nasce um grande escalador.

Todos os resultados em FPME.

As competições continuam dia 30 de Setembro em Cascais, com a primeira prova do Circuito Nacional de Boulder.

segunda-feira, setembro 18, 2006

Gorges de L'Ardeche

A descida das gorges de l'Ardéche é sem dúvida um bom programa para um dia de descanso. Situado a poucos kilómetros de Avignon, junto St. Martin de L'Ardéche, este rio e as suas margens foram consideradas Reserva Natural e Sítio Classificado.
.Gorges de L'Ardéche
.
O passeio é para se ir fazendo, é para sermos levados calmamente pela corrente, a sentir os aromas das margens, para vislumbrar a imensidão de calcário que nasce em paredões de mais de 300 m ao longo do rio, formando umas gorges absolutamente incríveis. São 30 km a remar junto a margens selvagens que formam pequenas baías onde se pode parar e descansar ou simplesmente disfrutar de uns banhos.
.
A nossa canoa
.
Eu na canoa
.
Nas gorges é possível ainda ver o famoso Pont d'Arc, que é um arco natural com 60 metros de altura. O ex-libris da região.
.
Durante o passeio há variadíssimos spots para o psico-bloc. Há de tudo, desde grandes paredões com pouca presa, a pequenas falésias com buracos alucinantes. É só atracar a canoa, escalar... e mergulhar.
.
Eu num "psico" hiper fácil
.Nuno noutro "psico"
.Mais falésias para o psico-bloc
.
A oferta para alugar as canoas é incrível e o passeio tende a ser muito concorrido, facto que empobrece a descida do rio. É preciso ter cuidado para não chocar com alguma canoa vizinha na descida de algum rápido (é ida à água, na certa!).
.
Quando não se rema...

sexta-feira, setembro 15, 2006

Saint Léger du Ventoux

Saint Léger fica a cerca de 30 km de Orange, não muito longe de Ceusse. As falésias percorrem as margens de um rio, e é nestas gorges que encontramos cerca de 200 vias distribuídas por várias dificuldades. Podendo-se escalar quintos e sextos, esta escola é conhecida pela grande quantidade de oitavos que oferece.
.

As falésias de Saint Léger, sector Face Sul

A área foi dividida em seis sectores principais: face este, face norte, face sul, cirque, pranyana e al andaluze. No Verão o melhor sector é a face norte, que se encontra todo o dia à sombra. O sector sul, pranyana e al andaluze, são virados a sul tornando-se insuportáveis para escalar em dias quentes.

Eu num 7b do sector Cirque

Predominam as chorreiras e a rocha negra. Alguns sectores, como o cirque e a face este têm vias de regletes e buracos que nascem em rocha branca ou de tons alaranjados. O sector sul é o que reúne as melhores vias, todas em placa desplomada repleta de chorreiras, onde reina o território da continuidade.

Repousando entre vias (ou simplesmente...dormindo)

Por ser uma escola relativamente nova é dificil encontrar croquis actualizados e os graus de algumas vias estão errados.

Num 7a+ da Face Norte

O rio, apesar de ter águas límpidas e apetecíveis, acaba por não fazer parte de um dia de escalada. É talvez a distância física às paredes que assim o ditam. Ainda assim, adorna a paisagem, possibilitando finais de tarde sob imagens fantásticas.

O rio

Para dormir, existe um albergue bem junto às falésias. Pode-se ainda pernoitar numa das margens do rio.

Saint Léger é pitoresca e retrata as pequenas vilas do sul de frança, muito arranjadinhas, cheias de canteiros sempre com flores a despoletarem e a dar cor às ruas pequenas e estreitas. Com 400 m de altitude, St. Leger vive virada para o famoso Mount Ventoux. Saint Léger fica a 10 min a pé das falésias, pelo que um passeio para ver a aldeia vale bem a pena. A 5 km de Saint Léger fica a vila de Brantes onde se pode comprar pão e que também merece, incontestávelmente, uma visita.

A fonte em Brantes

Em Saint Léger houve mais encadeamentos e menos quedas. O Nuno juntou-se à expedição e entre vias e vias a forma lá foi subindo e os encadeamentos começaram a aparecer. O tempo esteve mais para o nublado e escalámos em todos os sectores. O banho no rio era matinal e com água a temperatura fria q.b. Fizémos a ascensão ao Monte Ventoux e passeámos pelas vilas tipicamente francesas.

Nuno num 7b da face norte
.

Luís e Marco no "boulder tree"

8a/a+ à vista para o Zé

quarta-feira, setembro 13, 2006

Competições à porta!

As competições já estão aí à porta. Este ano, são mais que muitas, para terem uma ideia só no mês de Setembro arranca o Circuito Nacional de Dificuldade e o Circuito Nacional de Boulder.
.
Já no próximo dia 17 de Setembro, em Marco de Canavezes, terá lugar a primeira prova do Circuito Nacional de Dificuldade organizada pelo Grupo de Montanhismo de Vila Real.
.
Espera-se que seja uma grande prova à semelhança das demais, com todos os escaladores a aderirem em massa. Fica assim o apelo para que todos venham competir.
.
.
Marquem já na vossa agenda, dia 30 de Setembro primeira prova do Circuito Nacional de Boulder, em Cascais.
.
E para quem se quiser ir orientando vale a pena uma visita à página da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada: http://www.fpme.org/base/. Aqui encontras o calendário competitivo para a próxima época.

sábado, setembro 09, 2006

Ceusse

"La plus belle falaise du monde"
.
Não sei se será a mais bela falésia do mundo, mas seguramente que é a mais famosa! Situada a cerca de 20 km da cidade de Gap, no sul de França, esta falésia reúne vias do V ao 9a+. É aqui que encontramos a Biographie ou Realization, uma das vias mais duras do mundo, encadeada pela primeira vez pelo americano Chris Sharma, no ano de 2001 e até hoje só viu repetições de Sylvain Millet e Patxi Usobiaga, tendo já sido assediada por fortes escaladores vindos de todas as partes do mundo.
.
A falésia de Ceusse ao entardecer
.
Uma das grandes particuaridades desta falésia é o seu acesso. Não é a típica falésia de estacionar o carro, caminhar 5 a 10 min e escalar. Aqui, tem de se caminhar cerca de 1 hora (para os mais treinados 45 min) e vencer um desnível de 600 m para chegar à base das vias. É preciso estar motivado, para fazer a caminhada todos os dias sob o sol quente de Agosto. Para quem detesta caminhar há sempre a possibilidade de dormir junto ás falésias. Existem dois caminhos possíveis para se chegar lá acima: "o tradicional" e o "Ceusse directo". A única coisa que me apraz dizer sobre este assunto é, não se enganem e não vão pelo directo que mais parece uma escadaria com degraus em rocha e raízes de árvores. Conta a lenda que quem chega a primeira vez a Ceusse engana-se sempre e é praxado, subindo pelo directo.
.
Há quem diga que é possível dar a volta à falésia, ou seja, começando numa ponta e andando (andando, andando, andando...) é possível chegar-se exactamente ao mesmo sítio!!!
.

O Zé a escalar no sector cascada

A falésia é para ser visitada no verão, situada a 2000 m de altitude, o frio e o vento fazem-se sentir a toda a hora. Ao final da tarde, e em pleno agosto, os escaladores tiram o casaco de penas e resguardam-se do frio, calçando ainda umas luvas e um gorro! A falésia é de forma arredondada, assemelhando-se a uma meia lua, ao longo do dia é possível escolher sempre sectores à sombra. O mais comum é passar a manhã a escalar no sector Cascada e a tarde nos sectores Berlim e Demi-lune.

Eu na Super Mickey, 7b, sector Cascada

A variedade de estilos é grande, mas em geral as vias abaixo de 7b são em placa ligeiramente (quase vertical) desplomada, e as vias acima deste grau são bastante mais desplomadas. Predominam os grandes e pequenos buracos e as regletes. No sector cascada as presas são grandes e o desplome também é mais pronunciado, possibilitando uma escalada muito atlética.

Para muita gente, e para mim em particular, a jóia de Ceusse é o sector Berlim. Aqui as vias são duras (a mais fácil ronda o 7b+), por isso, à que vir forte para escalar neste sector. Blocage Violent é o ex-libris do sector, uma placa desplomada cheia de buracos onde se bloca bastante e voa-se mais ainda.

Luís na Blocage Violent, 7b+, sector Berlim

No Demi-Lune pode-se escalar placas muito técnicas onde as chapas poderão estar mais distanciadas do que o desejado.Como é hábito nestas escolas, altamente publicitárias, algumas vias estão lavadas ou hiperlavadas, facto que me atrai muito pouco. Vem gente de todas as partes do mundo para escalar em Ceusse e a variedade de idiomas na falésia é incrível.

Nos dias de descanso recomendo uma visita a Gap, e uma ida ao Plan de l'eau de Veynes. Aqui pode-se tomar banho e fazer uma bela churrascada. Existe uma pizzeria para festejar os encadeamentos, a grande novidade deste restaurante é o facto de ter umas sobremesas em massa de pizza: chocolate com banana, chocolate com frutos silvestres e por aí.

A visitar Gap

Cheguei a Ceusse, na companhia do Luis, Zé, Neiro e Marco, num domingo quente. No primeiro dia, "Ceusse Directo" para calentar as pernas e pormo-nos em forma (ou com uma carrada de dores musculares...) para os dias seguintes.

A expedição tuga, a mais fanática, era sempre (ou quase sempre) a primeira a chegar às vias, a alvorada estava marcada para as 7h. Com tantas horas de luz, a força acabava antes do pôr do sol. A motivação e o fanatismo pairavam no ar. Pela segunda vez, voltei a levar tareia das vias de Ceusse, depois de uma lesão vem a tempestade... e a bonança tarda a vir. Duros dias de escalada passei nas placas de sextos e nos desplomes dos sétimos.

Conhecemos caras novas e revimos outras caras. Confraternizámos com uma das melhores escaladores espanholas Ruth Plannels e o seu namorado Pepe Sabater.

Jantar na pizzeria com os nossos amigos

O Zé triunfou, 7c+ à vista a partir e 8a também. Luisito sacou uma das melhores vias do sector Berlim, Mirage (7c+), o Neiro encadeou carradas de 7b e 7b+ com exibições à altura: Ah! Neiro!! E o MC encadeou a via mítica: Ah! Patrick!!!

Algumas best off, a não perder:

- Super mickey 7b (hiper lavada)

- Petit ilusion, 7a+ (plaquita de resistência)

- Blocage violent, 7b+++++

- Vagabund d' Occident, 7c (a via mais encadeada à vista do mundo!)

- Zagreb, 6c

- Bibendum, 7b+ (a melhor!)

- Medecine Douce, 6c+ (a via de calentamento)

- Makach Walou, 7c+

- Le vol du pilatus, 6b+

Ficam a faltar mais umas quantas de qualidade internacional...sorry

sexta-feira, setembro 08, 2006

Mais fotos!

Zé a encadear à vista Bourinatour, 8a
.

Dia de descanso no rio
.

Á espera da sombra nas falésias

Ceusse, sector Biographie

Murta, a cadela da Ruth virando doberman nas mãos do Neiro

Eu no sector Cascada

Churrascada no plan de l'eau

Eu na Bibendum, 7b+

Final de tarde em Ceusse (mais uma queda...)

terça-feira, setembro 05, 2006

De volta!

E acabaram mais umas férias de Verão...
.
Muitas vias ficaram por encadear, muitos lugares por conhecer, viveram-se bons momentos, muitas caminhadas, alguma canoagem, um ou outro encadeamento e muitas quedas, os casacos fizeram falta e a pele de galinha foi mais uma constante, a chuva foi pouca e o sol brindou-nos quase sempre, reviram-se os amigos, pôs-se a conversa em dia e conheceram-se novas caras, comeu-se muito e guiou-se outro tanto, viram-se paisagens fenomenais e falésias soberbas, agarraram-se mais chorreiras e menos aplates, mais buracos e menos regletes, deixámos sola de pé de gato em granito e calcário, uns dias estávamos fortes, quiçá inumanos, outros dias frouxos, a gravidade foi variando e a temperatura também, houve muitos banhos em águas frias e alguns banhos de sol, das cidades e vilas muito ficou por ver e alguma coisa foi visitada, a companhia foi excelente, desde Coimbra a Ceusse, passando por Cavallers e Rodellar, e já hoje sinto vontade de voltar para mais umas férias fanáticas!!!
.
Devagar, devagarinho vou procurar actualizar o blog com as histórias de umas férias repartidas entre Ceusse, St Leger, Gorges de L' Ardéche, Gorges du Tarn, Cavallers, Parc Nacional de Aiguestortes, Organya, e, claro, Rodellar!
.
E porque uma imagem vale mais que mil palavras...
.