sábado, setembro 09, 2006

Ceusse

"La plus belle falaise du monde"
.
Não sei se será a mais bela falésia do mundo, mas seguramente que é a mais famosa! Situada a cerca de 20 km da cidade de Gap, no sul de França, esta falésia reúne vias do V ao 9a+. É aqui que encontramos a Biographie ou Realization, uma das vias mais duras do mundo, encadeada pela primeira vez pelo americano Chris Sharma, no ano de 2001 e até hoje só viu repetições de Sylvain Millet e Patxi Usobiaga, tendo já sido assediada por fortes escaladores vindos de todas as partes do mundo.
.
A falésia de Ceusse ao entardecer
.
Uma das grandes particuaridades desta falésia é o seu acesso. Não é a típica falésia de estacionar o carro, caminhar 5 a 10 min e escalar. Aqui, tem de se caminhar cerca de 1 hora (para os mais treinados 45 min) e vencer um desnível de 600 m para chegar à base das vias. É preciso estar motivado, para fazer a caminhada todos os dias sob o sol quente de Agosto. Para quem detesta caminhar há sempre a possibilidade de dormir junto ás falésias. Existem dois caminhos possíveis para se chegar lá acima: "o tradicional" e o "Ceusse directo". A única coisa que me apraz dizer sobre este assunto é, não se enganem e não vão pelo directo que mais parece uma escadaria com degraus em rocha e raízes de árvores. Conta a lenda que quem chega a primeira vez a Ceusse engana-se sempre e é praxado, subindo pelo directo.
.
Há quem diga que é possível dar a volta à falésia, ou seja, começando numa ponta e andando (andando, andando, andando...) é possível chegar-se exactamente ao mesmo sítio!!!
.

O Zé a escalar no sector cascada

A falésia é para ser visitada no verão, situada a 2000 m de altitude, o frio e o vento fazem-se sentir a toda a hora. Ao final da tarde, e em pleno agosto, os escaladores tiram o casaco de penas e resguardam-se do frio, calçando ainda umas luvas e um gorro! A falésia é de forma arredondada, assemelhando-se a uma meia lua, ao longo do dia é possível escolher sempre sectores à sombra. O mais comum é passar a manhã a escalar no sector Cascada e a tarde nos sectores Berlim e Demi-lune.

Eu na Super Mickey, 7b, sector Cascada

A variedade de estilos é grande, mas em geral as vias abaixo de 7b são em placa ligeiramente (quase vertical) desplomada, e as vias acima deste grau são bastante mais desplomadas. Predominam os grandes e pequenos buracos e as regletes. No sector cascada as presas são grandes e o desplome também é mais pronunciado, possibilitando uma escalada muito atlética.

Para muita gente, e para mim em particular, a jóia de Ceusse é o sector Berlim. Aqui as vias são duras (a mais fácil ronda o 7b+), por isso, à que vir forte para escalar neste sector. Blocage Violent é o ex-libris do sector, uma placa desplomada cheia de buracos onde se bloca bastante e voa-se mais ainda.

Luís na Blocage Violent, 7b+, sector Berlim

No Demi-Lune pode-se escalar placas muito técnicas onde as chapas poderão estar mais distanciadas do que o desejado.Como é hábito nestas escolas, altamente publicitárias, algumas vias estão lavadas ou hiperlavadas, facto que me atrai muito pouco. Vem gente de todas as partes do mundo para escalar em Ceusse e a variedade de idiomas na falésia é incrível.

Nos dias de descanso recomendo uma visita a Gap, e uma ida ao Plan de l'eau de Veynes. Aqui pode-se tomar banho e fazer uma bela churrascada. Existe uma pizzeria para festejar os encadeamentos, a grande novidade deste restaurante é o facto de ter umas sobremesas em massa de pizza: chocolate com banana, chocolate com frutos silvestres e por aí.

A visitar Gap

Cheguei a Ceusse, na companhia do Luis, Zé, Neiro e Marco, num domingo quente. No primeiro dia, "Ceusse Directo" para calentar as pernas e pormo-nos em forma (ou com uma carrada de dores musculares...) para os dias seguintes.

A expedição tuga, a mais fanática, era sempre (ou quase sempre) a primeira a chegar às vias, a alvorada estava marcada para as 7h. Com tantas horas de luz, a força acabava antes do pôr do sol. A motivação e o fanatismo pairavam no ar. Pela segunda vez, voltei a levar tareia das vias de Ceusse, depois de uma lesão vem a tempestade... e a bonança tarda a vir. Duros dias de escalada passei nas placas de sextos e nos desplomes dos sétimos.

Conhecemos caras novas e revimos outras caras. Confraternizámos com uma das melhores escaladores espanholas Ruth Plannels e o seu namorado Pepe Sabater.

Jantar na pizzeria com os nossos amigos

O Zé triunfou, 7c+ à vista a partir e 8a também. Luisito sacou uma das melhores vias do sector Berlim, Mirage (7c+), o Neiro encadeou carradas de 7b e 7b+ com exibições à altura: Ah! Neiro!! E o MC encadeou a via mítica: Ah! Patrick!!!

Algumas best off, a não perder:

- Super mickey 7b (hiper lavada)

- Petit ilusion, 7a+ (plaquita de resistência)

- Blocage violent, 7b+++++

- Vagabund d' Occident, 7c (a via mais encadeada à vista do mundo!)

- Zagreb, 6c

- Bibendum, 7b+ (a melhor!)

- Medecine Douce, 6c+ (a via de calentamento)

- Makach Walou, 7c+

- Le vol du pilatus, 6b+

Ficam a faltar mais umas quantas de qualidade internacional...sorry

1 Comments:

At 14 setembro, 2006 21:52, Blogger dr. plim said...

as fotos dos posts anteriores sao excelentes!!!
keep posting

 

Enviar um comentário

<< Home