sexta-feira, dezembro 29, 2006

Espinhaço, só mais uma vez!

Mais espinhaço! Pronto, pronto, a ver se é a última vez que eu coloco por aqui fotos desta grande parede... pelo menos este ano!
.
Mais uma visita, um dia depois do Natal, para desbundar-mos a via Normal aproveitando o magnésio deixado pelo Filipe e pelo Cuca e a via Radicais Livres.
.
Começámos pela entrada da via dos Lunáticos e a meio do 1º largo virámos para a esquerda por uma placa técnica, que está equipada e dá uma escalada muito boa. Já na reunião da Normal, o Nuno encadeia o largo duro da Normal à vista, que vale 7a+, e encadeia o segundo largo da via Radicais Livres. Este último largo custa 6c+ e está muito protegido. É um largo hiper aéreo, dos melhores que já experimentei. Chegámos ao cimo da falésia pelo V+ clássico.
.
No fim do dia mais uma incursão à via da fissura, Palácio da Lua, para o Nuno encadear a via a pôr friends.
.
Eu no primeiro lance da Normal, a virar para a placa

Já na placa a disfrutar

A mesma placa e o mar furioso lá em baixo

O final do largo que vale 6b+/6a+

O Nuno a encadear o largo da Normal, 7a+

O Nuno no largo duro da Radicais Livres

O final da Radicais Livres

Eu a abrir o V clássico

Eu no mesmo V

quinta-feira, dezembro 28, 2006

O Espinhaço outra vez!

Na véspera da véspera de natal foi dia de massificação do Espinhaço. Desde um encontro, que teve lugar no tempo em que os animais falavam e os clássicos tinham futuro ou antes ainda, que estas paredes poucas vezes devem ter visto tantos escaladores num só dia.
.
A excitação estava em alta e quase não houve tempo para o habitual cafezinho na Panisol, local de encontro! Todos queriam ir escalar e aproveitar o solinho de Inverno e um pedaço de rocha para pôr algum friend ou entaleco. Os mais fanáticos só diziam - bora lá!!!, sob pena de ficarem sem fissurinha para brincar.
.
Para estacionar estava o caos, foi preciso ordenar todos os carros, como se de um jogo de sokoban se tratasse, para que todos coubessem naquele ínfimo espaço, habituado a um carro solitário. Depois, a caminhada, atropelamentos uns atrás dos outros, puxadelas de cabelo, rasteiras e trambolhões, tudo para ver quem é que descia primeiro o rappel que nos leva à base das vias.
.
Mas perante tamanha massificação, faltava escolher a via. Tarefa assaz difícil perante tantos pretendentes. Depois de uma luta grega, golpadas nas costas e beliscões acabámos por levar a melhor sobre a dupla Cuca e Filipe e fomos direitinhos para a via Miradouro.
.
A dupla Grilo e Roxo, nervosos com a invasão do seu território pelos escaladores desportivos, e no meio de tamanha confusão acabaram por se esquecer da corda no cimo do rappel de... 70m!!! O Roxo foi o praxado, que teve de ir a pé buscar a corda... e por pouco não se esquecia também do arnês e tinha de voltar a pé.
.
O dia esteve esplêndido e o convívio em alta. As vias Miradouro, Lunáticos e Normal encheram-se de magnésio e deram as boas vindas aos escaladores afortunados! Eu diria que deve ter sido das poucas vezes que as manchas brancas do magnésio eram superiores às manchas brancas das cagadelas dos pássaros. A dupla mais ética, composta pelo Cuca e Filipe, encadearam em livre o segundo largo da via Normal cada um deles a abrir e a colocá-los.
.
O Grilo e o Roxo, apetrechados de material, conquistaram a via Lunáticos, uma das melhores da parede. Eu e o Nuno rachámos a via Miradouro, ficando o Nuno a abrir o largo mais duro, 7b de bloco. A mim coube-me abrir o primeiro largo da Miradouro, que segue por dois diedros, e o último largo, um 6b bastante "esquisito" aberto pelo Cuca, onde se pode escalar ou rastejar.
.
Depois de muita conversa e fotos, algum friend e entalador colocado, umas quantas quedas e outros tantos blocas, as vias lá foram encadeadas, ou simplesmente, escaladas, e no final da tarde ainda houve tempo para muitos pegues à via Palácio da Lua. A famosa fissura que virou moda!
.
A dupla Grilo e Roxo usaram técnicas sofisticadas de entalamentos de dedos, mãos, punhos, strappal, peles e pêlos para subirem por aí a cima, numa ciência assaz apurada em que se subentende que não fazem força! Os restantes escaladores habituados às explosivas vias de desportiva, apertaram "à muerte" por ali acima.
.
De encadeamentos a realçar a 1ª repetição a pôr os "amigos" da via Palácio da Lua, a cabo de Filipe Costa e Silva. A 2ª repetição da mesma façanha viria dois dias depois, desta vez por Nuno Pinheiro.
.
Os escaladores que não se preocupem que esta massificação foi para aproveitar o fim da época de escalada e inicio da época de nidificação. Além disso segundo informações ultra secretas, não se espera uma nova massificação do espinhaço neste século... pelo menos.
.

Dupla Cuca e Filipe no ínicio da Normal

Eu a abrir o primeiro largo da Miradouro, 6a+

Primeiro largo da Miradouro

Primeiro largo da Miradouro

Roxo na reunião do segundo largo da via Lunáticos

Eu na reunião do 1º largo

Nuno a apertar no largo duro da Miradouro, 7b de bloco

Eu a abrir o último largo, "Espuma Branca" 6b

Nuno a rastejar na variante da via Miradouro, "Espuma Branca" 6b

De baixo para cima, Grilo, Cuca, Filipe e Roxo, cada um na sua via

Cuca e Filipe a relaxarem no cimo da Parede grande

Eu na fissura, Palácio da Lua

Eu nos últimos passos da fissura

Cuca de friend na boca no Palácio da Lua

Os "mirones", Roxo, Grilo e Nuno

Nuno também no Palácio da Lua

Grilo a entalar-se na via da moda

Filipe a encadear o Palácio da Lua a pôr friends.

- Atenção, vou saltar!!!

sábado, dezembro 23, 2006

Feliz Natal e Bom Ano

A redacção do blog Climb climb climb queria desejar a todos os seus leitores um Feliz Natal e Bom Ano.
.
Para 2007 desejo a todos os escaladores:
.
- Muitos encadeamentos! "Paletes" de quintos (duros, ou não!), sextos, sétimos, oitavos... e quiçá nonos!!!
- Encadeamentos no limite, de asa levantada, sobrados e a passar medo.
- Muitas escaladas em placa e outras tantas em extraprumo.
- Que se passe medo de fissura em fissura.
- Que chapem muitas plaquetes e coloquem muitos friends e entaladores.
- Que haja tempo frio para colar nos aplates dos blocos duros.
- Que se equipem novas vias e se abram novos blocos.
- No psico, que mergulhem menos e encadeem mais.
- Que em 2007 se descubra o "mito do sicó".
- Que apareçam condições de gelo perfeitas na nossa serra.
- Que se viaje muito, e se escale noutras paragens.
- Que chova apenas o útil e necessário, e que as chorreiras sequem rápido.
- Que em 2007 haja muitos encontros da Irmandade.
- Que alguém esbarre por acaso numa qualquer falésia extraprumada a 30º com enormes buracos onde predomine a escalada de continuidade, a base das vias seja aceitável, que o acesso demore menos de uma hora de caminhada e de preferência em terreno plano, que não seja necessário chamar os bombeiros para desbravar o mato que nos separa das vias, e, finalmente, que esta falésia se situe em terras portuguesas!
.
- Finalmente, que disfrutem muito de todos os tipos e formas de escalada, do granito ao calcário, da placa ao extraprumo, do bidedo à fissura, por terras tugas, espanholas ou outras que tais, e sempre, sempre em boa companhia! Aproveitem o dia como se não houvesse amanhã!!!
.
A brincar de Pai Natal nas Torres del Paine

quinta-feira, dezembro 21, 2006

Jantar da Irmandade da Topalhada

Trálálá, lá lá lá lálá
.
Eu escalo tudo e não encadeio nada, trálálá
A corda tensa, mais uma topalhada, trálálá
.
Trálálá, lá lá lá lálá
.
Existem dois grupos de pessoas, as que estiveram lá, e as que, por motivos de força maior, não estiveram lá!!!

.
A vibrar com as duas argolas a Irmandade da topalhada, Instituição de Inutilidade Pública, passou a distinguir alguns escaladores pelo seu desempenho em 2006, aqui ficam os galardoados:
.
Treinador de bancada - Fernando Pereira

Equipadores - Cardinal e Nuno Pinheiro
Primeiro oito mil feminino - Daniela
Mais louca aventura em plano vertical - "Terra de ninguém", Miguel Grilo e Paulo Roxo
Escalador do ano - Zé Abreu
Prémio carreira - Sérgio Martins
Prémio Nuestros Hermanos - Para os "nuestros hermanos" galegos
Prémio "Irmã" - Isabel Boavida
Prémio para os dinamizadores da escalada nacional - Irmandade!!!
.
Aqui ficam as fotos do fim de semana...
.
Texalhão na "Reumon loção pró melão"
.

Final de tarde no microondas
.

Daniela e Larau na conversa

O pessoal à espera da janta

Eu e o Reeeeeii da placa (também conhecido por Miquel)

O pessoal no convívio. Da esq para a dir, Pujan, Rui Gameiro e Nuno Pinheiro

Prémio "Treinador de bancada" para o Fernando Pereira

Daniela Teixeira a receber o seu prémio pelo primeiro oito mil feminino

Nuno Pinheiro a receber o prémio equipador do ano, em ex-aquo com Filipe Cardinal

A dupla Grilo e Roxo a receberem o prémio pela abertura da via "Terra de ninguém"

Eu a ficar corada de prémio na mão

Zé Abreu a receber um merecido prémio pelo seu desempenho na escalada desportiva


A frouxidão de domingo... Três escaladores pendurados!

Eu a escalar numa das melhores vias de poios

A mesma via "Ron é ron"

terça-feira, dezembro 12, 2006

O Espinhaço!

Este foi sem dúvida um fim de semana polivalente (dentro do plano vertical, está claro!!!), desde desportiva, passando pela clássica e acabando no bloco. Das três vertentes destaco, sem dúvida, a clássica, não por ser a minha especialidade, mas sim por não o ser.
.
Foi a minha primeira ida ao Espinhaço, no Cabo da Roca. Já escalo há mais de dez anos e nunca tinha feito uma via nesta fabulosa parede virada para o oceano atlântico, nem tão pouco tinha a visto nalguma caminhada por estes lados. Só no passado domingo, quando faço a aproximação à parte de cima das vias e desço em rappel os 70 m de rocha, é que me apercebo da imensidão da falésia e do que andei a perder estes anos todos.
.
O granito apresenta umas formas arredondadas com fissuras à medida, os tons são alaranjados a contrastar com o verde dos chorões, há inclinações para todos os gostos e a escalada é em estilo clássico, ou seja, a cereja em cima do bolo.
.
De longe uma das mais bonitas e espectaculares falésias de Portugal.
.
Depois do rappel, com uma corda estática de 70 m. Já junto ao mar, foi preparar o material e começar a escalar. O dia esteve solarengo e entre alguma presa molhada a aderência estava boa.
.
Aqui ficam umas fotos da via que experimentei, a via “Direita” (L1 6b; L2 7a; L3 V).
.