quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Destino: El Chorro!!!

El Chorro foi sem dúvida o destino de muitos escaladores tugas para acalmarem o seu fanatismo nesta época carnavalesca. Mas este ano, foi diferente! Assim de repente, sem pensar muito na coisa e contando por alto, somei mais de 40 escaladores fanáticos ávidos de rocha a rumarem para o chorro neste Carnaval! Parece que as falésias nacionais ficaram desertas, às moscas, sem eira nem beira, e não pensem que as zonas de bloco tiveram melhor sorte, ao que consta os bloquistas fanáticos também rumaram à terras de Nuestros Hermanos para deixarem a sua pele na arenisca dos blocos de Albarracin…
.
Bom, mas vamos ao que interessa porque ao contrário do que possa parecer isto é um blog sério e além de outras coisas, pretende dar informação útil e séria para os despistados que não se lembraram de ir ao Chorro neste Carnaval.
.
El Chorro fica situado a cerca de 50 km de Antequera na Andaluzia e é por excelência a melhor zona de escalada para o Inverno de Espanha. A maioria dos sectores são virados a sul e a estas latitudes chove pouco pelo que a probabilidade de se apanhar dias solarengos e bons para escalar no pico do Inverno é grande. Há vias para todos os gostos: placas, extraprumos, chorreiras, vias de artificial, vias de largos, vias de 3 chapas e vias de 40 m.
.
Como não quisemos ficar para trás nesta corrida à mais famosa falésia da Andaluzia, também nos organizámos numa viagem fanática, com destino: El Chorro!!! Os ingredientes necessários para os 4 dias de escalada foram: 6 fanáticos compulsivos e impulsivos, que passo a citar – Leopoldo “Leo” Faria (o ditador iluminado), Miguel Loureiro (o pequeno…e forte!!!), Filipe Costa e Silva (membro altamente respeitável do Clube e supostamente o mais responsável), Mário Inocêncio (o Dgi mais forte da expedição – é o da foto louca!!!), Tiago “Texas” Lourenço (o homem dos dois polegares), Eu (a bolinha cozinheira), – uma Renault Traffic (sem travões!), muito vinho (Português!), algum leite, expresses, cordas, arnês, alguns pés de gato, vários blusões de penas, uma ou outra tenda, paparoca da boa e um baralho de cartas.
.
Partimos na sexta, lá pelas 17h, e depois de oito horas de viagem fatigante com direito a quasi-paragens em plena auto-estrada lá chegámos ao destino. Primeiro dia - sector Momia, aproximação pelo caminho Directo (quero dizer – mesmo directo!). Estava um tempo chuvoso e o apertanço deu para poucas vias. Eu apanhei a brisa do encadeamento e acabei por fazer o meu primeiro 7b+ à vista. A via está pouco lavada (factor predominante nos sectores mais famosos do Chorro), e começa com um conjunto de chorreiras a que se segue uma sequência fácil de presa boa, para seguir um pequeno tecto onde as presas diminuem numa placa quase vertical, culminando numa sequência técnica em travessia para a esquerda. Finalizado o dia, ainda houve tempo para uma ceia obrigatória de queijo, chouriço e vinho, seguido de um jantar delicioso proporcionado pela cozinheira de serviço!
.
Segundo dia: Makinódromo! Se o Chorro é a falésia mais famosa da Andaluzia, o Maki é o sector mais famoso do Chorro. É necessário correr atrás das vias, andar à porrada e aquecer em 7a para se escalar neste sector. Este foi o dia fatídico da nossa expedição. Enganados por um falso boato de que seria impossível ir a pé pelo caminho dos túneis (que tarda 50 min, num passeio calmo e sereno) decidimos ir dar a volta de carro para aceder ao sector numa pequena caminha que tardaria 10 min, não fosse a estrada estar cortada uns bons kilómetros antes. O resultado foi uma caminhada de mais de uma hora a subir e depois a descer, aquecimentos em 7a lavado e 7b de bloco que nos deixaram de rastos. O dia foi passado a tentar repor energias, ou seja, a cair nas vias todas!!! Salvou-se o Miguel que encadeou 7b à segunda. No final da tarde, numa atitude muito sensata da nossa parte, decidimos voltar a pé pelo caminho dos túneis até à vila (os tais 50 min em passeio calmo e sereno). Depois pedimos encarecidamente boleia ao Pujan para ir buscar a Renault Traffic (ingrediente indispensável desta expedição!) e foi o que nos salvou!!! Obrigado, Pujan!
.
O terceiro dia foi complicado, aliás muito complicado! Descobrimos logo as dificuldades que iramos ter nesse dia, quando acordámos e os músculos do corpo começaram a ranger e a dar de si. Onde já se viu numa expedição de escalada doerem mais as pernas que os braços!? Mesmo assim, o fanatismo foi mais forte e decidimos ir até à Desplomilandia, zona de escalada onde a maioria dos sectores se encontra virada a norte. Apesar da sombra não estava muito frio. De entre: “Aí! Dói-me as pernas”, “Não me mexo”, “Não me apetece fazer força”, “Dói-me os gémeos”, lá conseguimos levar a banda do reumático ao top de algumas vias do sector Buena Sombra. De noite, mais um jantar animado na Traffic seguido de um pokerzasso liderado pelo “capitalista” Texas.
.
Último dia, com as forças esgotadas, fomos queimar os últimos cartuxos novamente para a Desplomilandia, para o sector Como la vida mismo. Desta feita, o sector era nosso (nosso, dos tugas), além de nós estava por lá a expedição da carrinha do Zé (Zé Almeida) e do Pujan. Parece que choveram um monte de 7a à vista para toda a gente.
.
O regresso foi mais um épico de 8h de viagem com a carrinha a querer ficar em território espanhol umas quantas vezes!!!
.
Membros da Expedição
.
.
Não se assustem, é só o Mário!
.
Eu mesma!
.

Leo a simular a cara de peixe!
.

O Miguel estava a ver se o queixo chegava antes de nós...
.
O Filipe viu o fotógrafo e ficou assim!!!
.
Texas, dois segundos antes de mostrar os polegares
.
Aqui ficam mais umas fotos da expedição
.
.
O "breakfast"
.
O final de tarde no sitio do costume!
.
Pokerzasso!
.
(Ufff, uma foto de escalada!) Leo a apertar no Maki
.
Outro grupo tuga que também foi presenteado pela super caminhada!
.
Texas a desbravar uma via acabadinha de equipar no Maki (isso mesmo, acabadinha de equipar!)
.
O sector Makinódromo ao fim da tarde
.
A fuga dos Frouxos!
.
Túnel

.
O convívio no albergue
.
Sector Buena Sombra, Desplomilandia
.
Aquecimento
.
Miguel Loureiro a disfrutar
.
Filipe a queimar os últimos cartuchos
.
Atenção que a estrada é para a frente!!!
.
O pessoal do Clube
.
Nota: Desta vez, excedi-me no tamanho do texto e nos termos "técnicos". Compreendo todos aqueles que ficaram amedrontados com o número de linhas e por isso nem se deram ao trabalho de ler ou que, simplesmente, não tiveram paciência para ler (aqui entre nós, não perderam grande coisa!). Peço desculpa ao grupo dos que leram e não perceberam patavina do texto (melhores posts virão...ou não!).

8 Comments:

At 23 fevereiro, 2007 10:38, Anonymous Hugo Peniche said...

A foto do Mario tá brutal!!

 
At 23 fevereiro, 2007 10:48, Blogger Jorge said...

diversão à grande, mta bem :)
e este fds onde se aperta ?

 
At 23 fevereiro, 2007 10:51, Anonymous flash said...

jorge aka flash :>

 
At 23 fevereiro, 2007 10:56, Anonymous Mário said...

Foi granda weekend!!
Belinha o texto esta mta bom. "Este gajo aki" curtiu bues!

Proxima é para albarracin, ok?

Va bjinhs porta-t

 
At 23 fevereiro, 2007 11:15, Anonymous Anónimo said...

Bom report! Foi o que se passou sem tirar nem pôr. "Mais vinho do que leite" foi o mote da viagem, e de tal maneira que quase acabámos a tomar pequenos almoços de papas de cavalo cansado!
FCS

 
At 23 fevereiro, 2007 14:08, Anonymous Macas said...

Esteve-se bem, hein!! Uma trop verdadeiramente fanática, gostei das fotos!! Há... e parabéns pelo 7b+ bolinha!!

 
At 25 fevereiro, 2007 20:31, Blogger Mauro said...

7b+ à vista :o

Muito bom, tens que me ensinar uns truques.

O texto está muito fixe parabéns e continua cheia de força.

 
At 26 fevereiro, 2007 14:29, Blogger chb said...

Aquelas noites de poker eram sempre a bombar... e não tou a falar dos jogos (ai as orelhinhas...)!!!
Foi das melhores trips que fiz ao chorro... de trekking é claro! Nunca tinha andado tanto na minha vida pra encontrar vias... nunca mais vou dar ouvidos às más linguas... ;P
Aperta!

 

Enviar um comentário

<< Home