quinta-feira, junho 07, 2007

USA - Parte 2

A caminho do oeste…

Olho para o mapa, procuro entre os 50 CDs que trouxe, um que ainda nao tenha ouvido mil vezes. Ponho a musica a tocar, olho pela janela e lentamente vou absorvendo todas as cores e paisagens que se me deparam. Ao longe as manchas verdes enaltecem a minha imaginacao, os desertos enchem-me o espirito, as estradas veem-se lentas e compridas, as cidades geometricas e americanas. De onde estou nao consigo sentir os cheiros e passo pelos lugares depressa demais, sinto apenas a paisagem a correr rapido ao meu lado, a transformar-se ininterruptamente, a mudar, enchendo-se de cores alegres e cinzentas.
.
O azul do ceu vai-se transformando caprichosamente ao sabor do sol, umas vezes azul cristalino, outras branco e forte, as vezes salpicado por nuvens timidas. A temperatura sinto-a. Oscila ao sabor da latitude e da altitude e nunca estou certa do que me espera, ou um calor humido de verao, ou um frio continental acompanhado de uma bolas de neve.
.
A medida que a paisagem muda a curiosidade aumenta. Quero sempre ver mais, absorver com exactidao todas os diferentes verdes da floresta, perceber ate onde vai a imensidao amarela da planicie, sentir a elevacao da montanha e descobrir um pico nevado algures perdido no frio da altitude.
.
Devagar, ao sabor dos dias ou mesmo das semanas, os verdes da floresta vao dando lugar aos amarelos, as planicies aparecem e veem para ficar, para la delas a vista nada mais alcanca, as pessoas, as casas, tudo muda. As estradas sao mais geometricas e aborrecidas para o condutor, o relogio atrasa-se e tudo fica mais lento. E preciso viajar um pouco mais, para sermos novamente despoltados por novas emocoes.
.
O CD ja deu a volta e’ altura de escolher outra musica. Finalmente surgem no horizonte as montanhas, os picos nevados. A rocha aparece novamente com tonalidades fortes e agressivas. Finalmente, as planicies dao lugar as montanhas, a terra da lugar a rocha, o calor esconde-se e o frio aperta. Tudo passa mais rapido.
.
O por do sol, esse sim, mantem-se sempre inalteravel, todos os dias com um espectaculo diferente. Do vermelho ao laranja, umas vezes forte a pegar fogo as nuvens, outras vezes timido e fraco a desaparecer sem deixar rasto. E todos os dias os espectaculo repete-se no horizonte...
.
Amanha sera igual, o sol ira desaparecer na nossa frente e tudo o que nos rodeia sera diferente. Espera por nos o deserto laranja dos filmes do oeste.
.

3 Comments:

At 12 junho, 2007 12:12, Anonymous Anónimo said...

Isso, continuem a inspirar-nos...!!!!

bjos e até breve
Teresa Leal (e Gaspar)

 
At 14 junho, 2007 15:18, Blogger Cigano said...

Há afinal outros EUA. Boas fotos, pá.

Beijos e abraços

 
At 27 junho, 2007 13:17, Anonymous Anónimo said...

Que poética! Não te conhecia essa faceta! Muy bien! Lindas de morrer essas imagens, brutal...
Bjos e continuem a divertir-se!
Mafalda

 

Enviar um comentário

<< Home