terça-feira, setembro 14, 2010

Alpes

Este verão dei uma escapadinha até aos Alpes suíços e franceses. As condições em Chamonix foram excelentes no que se refere a acomodação e menos boa no que se refere à meteorologia. O S.Pedro não colaborou muito e acho que foram mais os dias de chuva que os de sol. Felizmente no vale de Chamonix existem bastantes falésias, pelo que nos dias menos bons sempre dava para apertar na rocha de Barberine, Gietroz entre outras.
Acabei por voltar ao Portalet onde tinha estado o ano passado. O sitio é incrível e as paredes são excelentes. Escalei outra vez o Petit Clocher du Portalet (2823m), desta vez em cordada feminina, eu, a Veronique (belga) e a Nivea (canadiana) pela via Chic Chec Choc e pela via Arete Sud-Est. Num dia de condições meteorológicas muito duvidosas, também escalei a Aiguille de la Cabane. A escalada é completamente diferente do Portalet, aqui reina a aventura (descidas incluídas!). Na ultima janela de bom tempo subimos ao Mer de Glace e daí pateámos até ao Refúgio das Envers des Aiguilles para escalar a via Pyramid e a via Guy-Anne. As condições para escalar estiveram perfeitas. No regresso fomos “apanhados” por uma tempestade que nos fez, além de correr e tremer de frio, perceber a imponência da montanha. Apesar da pouca escalada o ambiente esteve “fanático” e muito muito divertido! Aqui ficam algumas fotos desses momentos. As fotografias são uma miscelândia de todas as máquinas e todos os "fotógrafos".
.

segunda-feira, setembro 06, 2010

Serra da estrela


.
Este fim-de-semana foi tempo de deixar a Desportex e passar à clássica Total na serra da Estrela. Lá saímos na sexta rumo às montanhas tugas. Havia muitas vias p escalar e também havia muito musgo para limpar. Lá puxamos do nosso rack de amigos e demos uma de Craack master a entalar todo o friend e entaleco, ora grande ora pequeno, em toda a possível fissura e até houve momentos em que nos demos conta que até nós já estávamos Homo Entalados. E assim se passou o fim-de-semana a tentar escalar as fissuras da serra. Claro que as artificialadas não estiveram Ausentes não fosse o primeiro largo da Shaktis duro como tudo. Mas ao que sei não fui a única a puxar do material para progredir em altura. Houve outros que também quiseram experimentar as proezas do artificial como bons Hijos Pródigos.
.
Para a próxima temos de vir munidos de uma escova
para dar conta do Terror que deixou de ser de Nova Iorque para passar a ser dos líquenes e musgo que se acumulam nas placas e fissuras das vias que agora parecem que só vêem um escalador, quiçá, uma vez ao ano.
.
E parabéns aqueles que, à semelhança do Hugo Pratt que criou o Corto Maltese, criaram estas vias tão boas. É que as vias são mesmo boas e recomendam-se!